arquitectura & poder#2


[...]
Neste ar impassível
Em que os prédios cegos se servem
De toda a sua altura para proclamar
A força do Homem Colectivo,
Cada língua verte a sua vã
Desculpa competitiva:
Mas quem pode viver tanto
Num delírio irracional?
Fora do espelho espreita
O rosto do imperialismo
E o logro internacional
[...]

[W.H. Auden, 1 de Setembro, 1939]


about this entry


  1. AM 27.2.08

    Avante, Kamarada!
    Bloguers de todo o mundo...

     
  2. miss gija 14.4.08

    linda polaroid :)