e velhice é passado que se tornou presente, é passado apenas recoberto de presente

A identidade do lugar , que é o mesmo de trezentos ou novecentos anos atrás, resiste no fluxo do tempo, que passa por cima dele e continuamente modifica muitas coisas, ao passo que outras, de importância decisiva para o quadro geral, por serem recordações e testemunhos da antiga dignidade, são conservadas com reverência, num piedoso desafio ao tempo e também por orgulho.

Thomas Mann, Doutor Fausto


about this entry


  1. Anonymous 21.4.09

    muito bem evocado.
    pedro.

     
  2. alma 22.4.09

    Bonito :)
    será por orgulho que as árvores morrem de pé ?

     
  3. Patrícia 25.4.09

    Vou iniciar a leitura do Montanha Mágica em breve,como primeira obra que vou ler do autor.De qualquerforma gostei do excerto,e do blog em especial.
    Um bem haja,
    Terra de algodão

     
  4. a 27.4.09

    ler 'a realidade é real?' do Paul Watzlawick.

    http://restoo.blogspot.com/2007/07/bis-se-os-jovens-soubesses-se-os-velhos.html