suburbia - Grande Praga da Monotonia*


A Cidade-Jardim e os dogmas da utopia do homem dócil sem vontades individuais, conscientes e inconscientes. A submissão ao planeamento eterno e infinito. A catalogação interminável de todos os bocados das cidades, das vidas, que divide e compartimenta radiosamente o tempo e o espaço em “caixinhas” [via Abrupto].

*Jane Jacobs


about this entry


  1. Clara 25.9.08

    O conceito de subúrbio, tal como o escreveste aqui, é o produto do conceito de casamento-família.

     
  2. joão amaro correia 25.9.08

    ou não.
    pequeno-burguesa, a clara?

     
  3. Clara 25.9.08

    define-me tu.

    Adicionaste "monotonia"? monotonia=casamento.

     
  4. joão amaro correia 25.9.08

    não faço a mais pálida ideia. nunca fui casado. mas presumo que haja receitas para não serem "monotonia".

    não. a expressão é da jane jacobs, num maravilhoso livro que os nossos urbanistas tendem a esquecer. lembrei-me dela na viagem de metro - freud explicará porque terá sido no metro que se me ocorreu a expressão.

    mas ouviu sequer a crónica do pacheco pereira na rádio clube?

     
  5. Clara 25.9.08

    Acha???? Não oiço esse homem nem essa estação.

    Quando encontrar as tais receitas envie-mas por mail. Ou então não, deixe lá.

     
  6. makau 26.9.08

    muito boas as associações, imagens e a crônica (que adorei ouvir em português de portugal!!). Você já assistiu ao filme "o show de truman"? estou para revê-lo e as caixinhas! A Jane Jacobs é cada dia mais atual! bom final de semana! :-)

     
  7. miss gija 26.9.08

    provavelmente vivo numa cidade-jardim, concordo com uma certa falta de individualidade, mas por sua vez cada indivíduo tem as suas vontades, ele só por si é individual por mais que a sua vida seja catalogada. se sei o que digo, não faço ideia...um dia.
    um bom fim-de-semana para si.

     
  8. F 10.10.08

    Tudo hoje patrocina a clonagem. Queres ser diferente? Morres, ou melhor, não sobrevives! (Hello there! I know you didn't miss me, still...)